Catolicismo, n 554, fevereiro de 1997 (www.catolicismo.com.br)

Figura de Plinio Corrêa de Oliveira repercute na Itália:

"verdadeiro mestre espiritual, modelo de vida"

Roberto de Mattei, nascido em Roma, em 1948, é professor catedrático de História Moderna na Universidade de Cassino, Itália. Dirige o ativo Centro Culturale Lepanto, por ele fundado, e é autor de numerosos trabalhos sobre assuntos da atualidade. Também é de sua autoria a primeira biografia publicada do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, denominada O Cruzado do século XX, que veio à luz em recente edição da conhecida editora italiana Piemme. O livro está sendo traduzido para os principais idiomas falados na Europa, inclusive o português.

Estando em visita à Sede do Conselho Nacional da TFP, na capital paulista, o autor teve a amabilidade de nos conceder a seguinte entrevista:

Catolicismo - Professor de Mattei, o Sr nos poderia relatar, em suas linhas gerais, qual foi a origem deste livro?

Prof. Roberto de Mattei - Creio ser um livro nascido como todas as coisas desejadas pela Providência Divina, ou seja, de modo um tanto misterioso e imprevisto. Tendo viajado ao Brasil em 1994 e conversado com Dr. Plinio nessa ocasião, ele me deu sugestões muito oportunas para empreender, com meus amigos do Centro Culturale Lepanto e da associação Famiglia Domani, uma campanha contra a proposta do Parlamento Europeu de legalizar as uniões homossexuais. Fizemos a campanha e obtivemos um grande êxito. A ofensiva homossexual perdeu muito de seu ímpeto na Itália.

Em julho do ano seguinte, voltei a São Paulo para relatar ao Dr. Plinio o resultado dessa campanha e para trocar impressões com ele a respeito do prosseguimento da mesma na Itália. Devo esclarecer que tal viagem, por dificuldades diversas, esteve a ponto de não se realizar naquele mês, e de ser adiada para setembro. Se isto houvesse ocorrido, não teria havido oportunidade de conversar novamente com Dr. Plinio e, em conseqüência, faltar-me-ia seu beneplácito para a realização desse trabalho. De fato, numa das conversas propus-lhe escrever sua biografia. Ele imediatamente acolheu a idéia e me estimulou explicitamente a fazer um estudo destinado ao grande público, realizado com a seriedade de documentação própria aos estudos que se fazem na Europa. Dr. Plinio parecia estar muito cansado e, em certo momento, me confiou acreditar que sua vida estava próxima ao fim.

Nunca imaginei, porém, que algumas semanas depois eu voltaria a São Paulo para seu funeral. Aos pés de seu túmulo e de sua mãe, Dona Lucília, renovei meu propósito de escrever o livro, pois então me pareceu ainda mais necessário que antes.

Catolicismo - E como conseguiu, em tão pouco tempo, escrever a síntese de uma personalidade tão rica e tão cheia de aspectos diversos como a do Dr. Plinio?

Prof. de Mattei - Nesse ponto, de fato, tive que enfrentar as dificuldades que se apresentavam, pois a obra do Dr. Plinio é de tal modo gigantesca que dá a impressão de ser inesgotável. Creio que a bibliografia sobre ele, seus livros, seus artigos, as teses que foram escritas, se destinam ao trabalho de gerações de estudiosos no futuro. Estou certo de que haverá pessoas que desejarão pesquisar em profundidade a riqueza de seu pensamento; mais ainda, a riqueza ainda maior e mais velada de sua própria vida interior, de sua alma.

Compreendi que a mim cabia apenas escrever um livro introdutório, um livro de combate. Livros assim, porém, devem ser escritos no mais curto prazo possível, e nisso consistiu o maior problema que me vi forçado a enfrentar. Sou alguém com tempo muito escasso para meus afazeres cotidianos. Só me restava confiar na Santíssima Virgem e oferecer-Lhe meu desejo de escrever essa biografia da melhor forma possível.

E creio ter sido atendido por Ela. Repito que se trata apenas de uma primeira abordagem do tema, pois espero de todo o coração que uma personalidade como a do Dr. Plinio seja objeto do estudo de outros autores, que escreverão dispondo de mais tempo, com maiores possibilidades, podendo assim preparar obras com maior aprofundamento.

Agradeço do fundo de minha alma à Divina Providência que se dignou conceder-me o tempo e as forças para a realização dessa obra. Também sou muito grato ao Cardeal Stickler, figura de incontestável renome no mundo intelectual europeu, que se dignou honrá-la com esplêndido prefácio. E à prestigiosa editora Piemme, que a ofereceu pronta para o lançamento exatamente na véspera do primeiro aniversário. Tão logo a obra foi publicada, dirigi-me à maior feira internacional do livro, em Frankfurt, na Alemanha. onde iniciei importantes tratativas para que a obra seja publicada também em francês, inglês, português, espanhol e alemão.

Catolicismo - Como vai a difusão do livro na Itália?

Prof. de Mattei - Com a ajuda do Bureau TFP de Roma fizemos três lançamentos do livro nessa cidade, em lugares distintos. O primeiro, presidido pelo próprio Cardeal Stickler, realizou-se na livraria Coletti, na Praça de São Pedro, sendo destinado a um público mais eclesiástico. O segundo, por sua vez, era destinado a um público do mundo político, e foi realizado na sala do Cenáculo da Câmara dos Deputados, também em Roma, com a presença do vice-presidente do Senado e de outros parlamentares. Finalmente, uma terceira apresentação da obra consistiu numa conferência no secular e famoso palácio Pallavicini, igualmente na Cidade Eterna, a que compareceram três cardeais, além de numerosos aristocratas, bispos e figuras do meio eclesiástico romano.

Outras apresentações da obra tiveram lugar em Milão, Gênova, Nápoles, Parma, Pádua, Florença e Benavento. E temos um calendário de novas apresentações em várias outras cidades italianas. O livro já está distribuído e exposto nas principais livrarias do país.

Catolicismo - Até agora, qual foi a repercussão alcançada pelo livro?

Prof. de Mattei - Tanto nas conferências públicas, como nos comentários que me chegam oralmente ou por cartas, houve repercussões que me surpreenderam. O que acontece na Itália é um fenômeno novo e um pouco misterioso. Em torno da figura do Dr. Plinio, até agora conhecido em alguns meios por seus livros, está se formando uma nova reputação. Ele é considerado, mais que um pensador ou o grande líder de um movimento, um verdadeiro mestre espiritual, um modelo de vida. Isto me surpreende, uma vez que meu livro quase não trata da vida particular do Dr. Plinio, mas sim do exercício de suas virtudes. Espero que outros venham a tratar desse aspecto.

De qualquer modo, essa é a repercussão generalizada. Por que? Creio que se deve ao fato de que sua vida pública, com a inteira coerência que nela se observa, só pode ser vista como a confirmação de sua vida particular. E uma confirmação de sua tese de fundo, ou seja, que é necessário sacralizar o temporal e que todos os atos devem ser remetidos a Deus. Ele encarna profundamente, aos nossos olhos, o ideal do reino de Cristo por Maria. Quem contempla sua vida compreende o que é a Contra-Revolução. O mundo tinha necessidade de um paradigma de Contra-Revolução, fundado na vida interior.

Catolicismo - Que aspecto da personalidade de Plinio Corrêa de Oliveira lhe estimulou mais especialmente para escrever sua biografia?

Prof. de Mattei - Sou romano de nascimento e me toca profundamente a proclamação que Dr. Plinio sempre fez de sua romanidade, entendida enquanto catolicidade, enquanto universalidade. Vi a inscrição que, por vontade sua, foi colocada em seu túmulo: "Vir catholicus et totus apostolicus, plene romanus" (Varão católico, todo apostólico, plenamente romano). Dr. Plinio escreveu que, depois do amor a Deus, o amor ao Pontificado Romano é o mais elevado amor que a Religião ensina. Ou seja, ele foi um homem totalmente impregnado daquele "sensum fidei", daquela sabedoria católica que se abebera na fonte romana. Sinto que este amor à Santa Igreja Romana me une profundamente, tanto a ele como à sua obra, pois a sinto também "plene romana".